NOTÍCIAS


Suprema Corte da Colômbia é cercada por manifestantes durante escolha de novo procurador, e juízes saem escoltados



Polícia foi acionada, e houve confronto com manifestantes em Bogotá, nesta quinta-feira (8). Presidente quer que Corte escolha procurador-geral com base em lista proposta por ele. Manifestantes durante confronto com a polícia em protesto em Bogotá AP Foto/Fernando Vergar A Suprema Corte da Colômbia foi cercada por manifestantes durante uma votação para a escolha do novo procurador-geral do país, nesta quinta-feira (8). Diante do bloqueio, a polícia precisou entrar em ação, e os juízes deixaram o prédio em veículos escoltados. ✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp Os manifestantes atenderam a um chamado do presidente Gustavo Petro para exigir que a Corte escolha o novo procurador-geral com base em uma lista proposta pelo mandatário. Sindicalistas, estudantes e indígenas estavam entre os participantes do protesto, em Bogotá. Os manifestantes cercaram a Corte e bloquearam o acesso ao prédio onde os juízes estavam. A polícia foi acionada e dispersou a multidão com gás lacrimogêneo. Alguns manifestantes revidaram atirando pedras contra as forças de segurança. Ainda assim, a polícia conseguiu retomar o controle da área. Dentro do Corte, os juízes não entraram em um consenso para eleger o sucessor do atual procurador, Francisco Barbosa, a quem Petro acusa de tentar derrubá-lo. Em um comunicado, a Suprema Corte afirmou ser “inaceitável” que juízes fiquem sitiados e disse que as manifestações afetaram “gravemente o direito à liberdade de locomoção”. Além disso, os juízes afirmaram que os protestos colocaram “em grave risco a vida e integridade física de magistrados, funcionários, jornalistas e demais ocupantes” do Palácio da Justiça. Por sua vez, Petro afirmou que “a Suprema Corte tem o direito e o dever de escolher livremente o procurador, e a cidadania tem o direito de se manifestar”. “Não é certo dizer que a mobilização de hoje foi ordenada por mim, nem que é um instrumento de pressão contra a Corte, à qual dei todo o meu respaldo e garantia. Se os grupos interessados decidirem desesperadamente pela ruptura institucional, haverá uma resposta popular contundente e sem violência”, escreveu Petro em uma rede social. VÍDEOS: mais assistidos do g1

Fonte: G1


09/02/2024 – Paraiso FM

COMPARTILHE

SEGUE A @PARAISOFM897

(35) 3531-8007

[email protected]
Avenida Zezé Amaral, 1128 – Vila Ipê.  Cep: 37950000 – São Sebastião do Paraíso – MG      WhatsApp ouvinte: (35) 99910-6677

NO AR:
AO VIVO - PARAISO FM