NOTÍCIAS


Jovem queimada viva na Grande BH: Justiça mantém prisão de suspeito do crime



Layze Stephanie Gonzaga Ramalho da Silva, de 21 anos, foi encontrada em chamas por um caminhoneiro, às margens da BR-040, em Pedro Leopoldo. Jovem queimada viva na Grande BH: o que se sabe e o que falta esclarecer sobre o caso A Justiça mineira converteu a prisão em flagrante do homem suspeito de matar Layze Stephanie Gonzaga Ramalho da Silva, de 21 anos, para preventiva. A jovem foi queimada viva, na noite da última segunda-feira (19), em uma rodovia na Grande BH. Em decisão nesta quinta (22), a juíza Juliana Miranda Pagano, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), afirmou que, diante da gravidade dos fatos, a conversão foi necessária para a “garantia da ordem pública”. “A vítima fora socorrida até o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, momento em que foram constadas, além das lesões de queimaduras, diversas lesões causadas por objeto perfuro contuso, não tendo resistido aos ferimentos e vindo a óbito. Além disso, constata-se que a genitora da vítima recebeu uma chamada de vídeo, na qual o autuado exigia o valor de RS 30 mil”, disse trecho do documento. Ainda na decisão, a magistrada solicitou que Polícia Civil (PC) faça um exame de impressões digitais para verificar a identidade correta do suspeito, de 36 anos. Em depoimento, o homem afirmou que nasceu no Paraguai e seu nome verdadeiro seria Ruan Salinas, mas que passou a se chamar Daniel Lemes Ferreira quando veio para o Brasil, aos 19 anos de idade. Entenda o caso Layze Stephanie Gonzaga Ramalho da Silva foi encontrada em chamas por um caminhoneiro, na noite da última segunda-feira (19), às margens da BR-040, em Pedro Leopoldo. Segundo a Polícia Militar (PM), a jovem foi sequestrada e estava em cárcere privado desde o dia 11 de fevereiro. Layze Sthepanie Gonzaga Ramalho da Silva foi espancada e esfaqueada antes de ter o corpo queimado pelos suspeitos. Redes Sociais Ainda de acordo com a corporação, ela foi socorrida por funcionários da Via 040, concessionária que administra a rodovia, e levada até o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em BH. A jovem teve 90% do corpo queimado, não resistiu aos ferimentos e morreu durante a madrugada de terça-feira (20). Ela ainda teria sido espancada, estuprada e esfaqueada sete vezes antes de ter o corpo incendiado. À PM, a família da vítima disse que era chantageada a pagar R$ 30 mil para que os suspeitos libertassem a jovem do cativeiro com vida. Conforme registrado no boletim de ocorrência, Daniel Lemes Ferreira e uma mulher, de 34 anos, foram presos por suspeita de participação no crime. Recentemente, a jovem tinha apresentado o homem à família como namorado. Segundo a PM, foi possível chegar aos suspeitos com pelo número da chave PIX destinada ao pagamento da quantia exigida para o resgate. A dupla foi localizada e presa na Região de Venda Nova, em Belo Horizonte. Aos policiais, os suspeitos disseram que a vítima tinha uma dívida com o tráfico no valor que foi pedido à família. O homem ainda afirmou que, horas antes de matar a jovem, teve relações sexuais com ela e deixou o telefone celular dela como garantia de pagamento em um motel. Em nota, a Polícia Civil informou que o homem foi autuado em flagrante por extorsão mediante sequestro e homicídio qualificado. Já a mulher foi ouvida e liberada. LEIA TAMBÉM: Jovem queimada viva na Grande BH: o que se sabe e o que falta esclarecer sobre o caso Jovem morre depois de ser encontrada em chamas por caminhoneiro na BR-040 Quem era Layze Stephanie, jovem que morreu após ser queimada viva na Grande BH Os vídeos mais vistos do g1 Minas:

Fonte: G1


23/02/2024 – Paraiso FM

COMPARTILHE

SEGUE A @PARAISOFM897

(35) 3531-8007

[email protected]
Avenida Zezé Amaral, 1128 – Vila Ipê.  Cep: 37950000 – São Sebastião do Paraíso – MG      WhatsApp ouvinte: (35) 99910-6677

NO AR:
AO VIVO - PARAISO FM