NOTÍCIAS


GDF entrará em 79 prédios para furar lajes e eliminar focos da dengue


O Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Secretaria de Proteção da Ordem Urbanística (DF Legal), vai entrar em 79 prédios irregulares de Vicente Pires para furar lajes e evitar acúmulo de água que pode servir como foco para proliferação do mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti.

0

Em entrevista ao Metrópoles, nessa quarta-feira (7/2), o secretário da Casa Civil do Distrito Federal, Gustavo Rocha, afirmou que a DF Legal tem entrado em locais com acúmulo de resíduos capazes de funcionar como criadouros para larvas do mosquito.

O trabalho faz parte da força-tarefa de enfrentamento à epidemia de dengue na capital do país. “Existem 79 edifícios embargados, e a maioria [está] sem condições de regularização. [… Com isso,] começou a ter um acúmulo de água, principalmente nas lajes”, comentou o secretário.

Gustavo Rocha acrescentou que a DF Legal tem ido a todos esses prédios, para furar lajes, de modo a evitar o acúmulo de água e a permitir que ela escorra naturalmente.

Confira:

Assista à entrevista na íntegra:

Iniciativa própria

A DF Legal iniciou a perfuração das lajes na última segunda-feira (5/2) e concluiu o trabalho em sete edificações. Nessa quarta-feira (7/2), além de fazerem a intervenção para escoamento da água nas obras, as equipes aplicaram cloro nas estruturas.

Além disso, os servidores emitiram R$ 270 mil em multas por descumprimento da ordem de embargo e pela continuação das construções, apesar da proibição.

O secretário da DF Legal, Cristiano Mangueira, também destacou que, se os donos dos edifícios não fizerem o escoamento, a perfuração das lajes e a instalação de ralos nas estruturas poderão pagar de R$ 5 mil a R$ 10 mil pelo serviço executado pela pasta.

“Então, há a oportunidade de os proprietários fazerem essas pequenas intervenções, seja comunicando à DF Legal para acompanhamento [do serviço] ou fazendo voluntariamente, em qualquer edificação, apenas a instalação de ralos para escoamento”, comentou Cristiano.

O chefe da secretaria reforçou que os responsáveis pelos imóveis embargados devem promover a limpeza dos canteiros de obras, para evitar o acúmulo de água parada em materiais de construção, equipamentos ou caixas d’água.



Fonte: Metrópoles


08/02/2024 – Paraiso FM

COMPARTILHE

SEGUE A @PARAISOFM897

(35) 3531-8007

comercial@paraisofm.com.br
Avenida Zezé Amaral, 1128 – Vila Ipê.  Cep: 37950000 – São Sebastião do Paraíso – MG      WhatsApp ouvinte: (35) 99910-6677

NO AR:
AO VIVO - PARAISO FM